Arquivo

Posts Tagged ‘Richard Dawkins’

Os Ateus Perderam a Cabeça?

dezembro 27, 2010 Deixe um comentário

Tradução: Eliel Vieira

Questão 1:

Caro Professor Craig,

Eu sou um ateu que admira seus debates e argumentos, mas tenho observado uma tendência no meu lado da discussão sobre a qual eu gostaria de lhe perguntar.

Me parece que os ateus populares de hoje em dia, como Richard Dawkins, Daniel Dennett, Christopher Hitchens e Sam Harris, não aprensentam argumentos sólidos (ou ao menos válidos) da forma como um filósofo como você (ou um filósofo em treinamento como eu) gostaria de ver. Eu sei que estes argumentos existiam com os ateus no passado (como Mackey, Russell e Hume), mas eu não sei porque os ateus populares (ou outros ateus em geral) atualmente não empregam tal argumentação em debates recentes. Leia mais…

O Argumento Ateísta de Richard Dawkins em “Deus, um delírio”

dezembro 16, 2010 2 comentários

Tradução: Leandro Teixeira

O que o Sr. pensa sobre o argumento ateísta de Richard Dawkins em seu livro “Deus, um delírio”?


Resposta do Dr. Craig:

Nas páginas 212 e 213 do livro dele, Dawkins resume o que ele chama de “o argumento central de meu livro.” Assim segue:

1. Um dos maiores desafios para o intelecto humano foi explicar como o complexo e improvável aparecimento do design surgiu no universo.
2. A tentação natural é atribuir o aparecimento do design a um design verdadeiro. Leia mais…

O Novo Ateísmo e os Argumentos para a Existência de Deus

dezembro 16, 2010 3 comentários

Tradução: Eliel Vieira

Richard Dawkins, maior guru do novo ateísmo

[Para baixar a versão completa deste artigo, com todas as notas de rodapé, em PDF: 4Shared, Scribd]

Pode parecer surpresa o fato de que praticamente nenhum dos chamados “novos ateus” tenha alguma coisa para dizer sobre os argumentos para a existência de Deus. Ao invés disto eles tendem a se focar nos efeitos sociais da religião e na questão se a fé religiosa é boa para a sociedade. Qualquer pessoa pode justificadamente duvidar que o impacto social de uma idéia, para o bem ou para o mal, seja uma método adequada para medir sua veracidade, especialmente quanto existem razões sendo oferecidas para pensar que a idéia em questão seja verdadeira. O darwinismo, por exemplo, certamente teve no mínimo alguns impactos sociais negativos, mas isto dificilmente dá sustentação para pensarmos que a teoria seja falsa e simplesmente ignorarmos as evidências biológicas ao seu favor. Leia mais…